Welcome To My Life.



   “É lenta e quase não fala. Tem olhos hipnóticos, quase diabólicos. E a gente sente que ela não espera mais nada de nada nem de ninguém, que está absolutamente sozinha e numa altura tal que ninguém jamais conseguiria alcançá-la.”
— Cartas, Caio Fernando Abreu                  

Este é um ponto importante: ir, sobretudo, em frente.
-Caio F. Abreu (via c0rrenteza)

(Fonte: serporestar, via c0rrenteza)

Olhei para o céu e confiei em Deus.
-O Diário de Anne Frank.  (via atitudes-certas)

(Fonte: decifrandoavida, via pr0lifere)

É triste quando alguém começa a te esquecer. Todo dia você some um pouquinho da vida daquela pessoa, mas a verdade é que ninguém quer perder ninguém, ninguém. A tal pessoa começa a te ignorar e começa a seguir com a própria vida, enquanto você fica insistindo e insistindo. Aí vem uma sensação bem estranha que não tem nome, mas que é horrível como um amor não-correspondido. E então você fica confuso, sem saber o que fazer, sem a mínima ideia. Esquecer ou continuar insistindo? Seguir com a vida ou ficar teimando naquilo? Ah, como decisões são complicadas. Só que a verdade mais verdadeira é que você queria que a pessoa continuasse ali, que ela não se fosse, porque você não quer perdê-la. Nunca, nunquinha.
-Oh, please come back. (via romantizado)

(Fonte: projuro, via habita-da)

gemsicle:

nap-time cuddles
Tudo um dia será nada, é esse nada será o tudo que tanto procuramos encontrar.

- Paulo de Tarso Lima

(Fonte: diariodeumapoetailudida)

Pare de contar seus problemas para quem não te entende. Ore.
-Marcela Taís  (via virtuosa-citou)

(Fonte: belongto-jesus, via azedand0)

Capítulo 2;
Desapego não é desamor.
-(via doce-psicopatia)
Tudo me atinge, vejo demais, ouço demais, tudo exige demais de mim.
-Clarice Lispector. (via velaste)

(Fonte: adverbios, via velaste)

Sou uma pessoa insegura, indecisa, sem rumo na vida, sem leme para me guiar: na verdade não sei o que fazer comigo.
-Clarice Lispector. (via distanciarei)

(Fonte: quedoceseja, via distanciarei)

Quando paramos de correr atrás de alguém, não paramos por que é da nossa vontade. É simplesmente por que nossas pernas doem, e não aguentamos mais correr.
-Brendon Moraes. (via velaste)

(Fonte: romeuemcrise, via velaste)